Loading...

ISABEL VAZ & VASCO DANTAS

Duo de Violoncelo e Piano

  • Local: TEMPO - Teatro Municipal de Portimão
  • Data: 26 junho . 19h00

A Isabel e o Vasco tocam em duo desde Março de 2018. Ao longo destes anos têm-se apresentado várias vezes em Portugal, Países Baixos, Alemanha e Croácia. Interpretam um largo conjunto de repertório para violoncelo e piano, com particular atenção à música portuguesa. Em 2019 gravaram um cd (editora MpMp) com a Sonata para violoncelo e piano de Luís de Freitas Branco. Em Julho de 2020 a Isabel, o Vasco e a violinista Anna Paliwoda interpretaram o Triplo Concerto de Beethoven com a Orquestra Metropolitana, no festival do Estoril-Lisboa. São também os diretores artísticos do Algarve Music Series, um ciclo de concertos no Algarve. A 6ª edição terá lugar em Outubro de 2021.




PROGRAMA:


Ária I, op. 2 (1943) dedicado a Madalena e Helena Sá e Costa
Tema e Variações, op. 12 (1948)
Joly Braga Santos (1924-1988)

Four Cities (Dört Şehir) Op. 41 (26/06 2012)
Fazil Say (1970-)

Trio para Piano, Violoncelo e Marimba
R. Aaron Walters

Isabel Vaz, violoncelo
Vasco Dantas, piano
Participação especial de Vasco Ramalho, marimba




Notas de programa

A 26 junho de 2012, estreava precisamente 4 Cidades / Four Cities / Dört Şehir), obra do marcante compositor e pianista turco Fazil Say, nascido em 1970. 9 anos depois, a 26 de junho de 2021, teremos a oportunidade de estrear esta obra em Portugal, no festival Dias da Percussão em Portimão. A Sonata, de caráter vibrante e percussivo, pode ser considerada uma viagem pelas quatro cidades da região de Anatólia (Turquia), cada uma delas com uma identidade própria bem definida. Esta obra encontra a sua inspiração na vida e memórias do compositor.

Sivas
Sivas é uma cidade conservadora, situada a leste de Anatólia e é conhecida pela sua população Alevi (muçulmanos shiitas). Para a primeira parte do primeiro andamento, Fazil Say inspirou-se na canção “Sazim” (que se traduz por “o meu saz”, um instrumento tradicional), do poeta alevi Asik Veysel. O andamento termina com uma melodia melancólica, como imitação deste instrumento tradicional.

Hopa
Para este andamento, Fazil Say inspirou-se num casamento tradicional da região leste do Mar Negro. Horon é uma dança folclórica muito rápida, tocada por um kemence (instrumento típico da região).
Ankara
Foi declarada a capital da Turquia por Ataturk, em 1923. Foi a cidade onde Fazil Say passou a sua infância. Na secção a meio do andamento pode-se escutar uma canção revolucionária do tempo da primeira guerra mundial.

Bodrum
A Saint-Tropez da Turquia. Numa das suas ruas mais populares, escuta-se uma cacofonia de músicas provenientes de vários bares e cafés, do jazz ao pop, rock e folk. Neste andamento podemos escutar várias canções conhecidas. Uma delas é interrompida abruptamente e de forma absurda por uma luta de bar, algo que acontece com frequência nesta cidade.

O programa inicia com uma homenagem ao compositor português Joly Braga Santos (Lisboa, 1924 – Lisboa, 1988), uma das principais figuras da Música Portuguesa do Século XX e sinfonista prolífico, recentemente homenageado no 30º aniversário do seu desaparecimento, com a edição integral da sua obra para música de câmara, pelo grupo Tocata Classics (2019/2020).

Sendo o piano da família da percussão, quanto à forma como o som é produzido, não poderíamos deixar de contemplar um convite ao percussionista e diretor artístico DPP’21 Vasco Ramalho, na apresentação de uma obra do compositor e multi-instrumentista americano R. Aaron Walters. A música deste compositor é uma mistura de vários idiomas inspirados nas várias atividades a que se dedica: produção, bateria, piano, jazz, música comercial (rock progressivo, indie, música electrónica, folk, etc.), música erudita, orquestração e música para dança. Esta é a primeira execução do seu trio para marimba, violoncelo e piano desta obra em Portugal.




ISABEL VAZ

Isabel Vaz começou a estudar violoncelo aos sete anos de idade na FMAC, em Lisboa. Completou a sua licenciatura na ESML com Clélia Vital e Irene Lima (música de câmara) e o mestrado no Conservatório de Amsterdão com Dmitry Ferschtman, com o apoio de uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian. Durante os seus estudos participou em dois intercâmbios: o primeiro na HAMU, em Praga, com Vaclav Bernasek e mais tarde na Manhattan School of Music, Nova Iorque com Alan Stepansky. Integrou de 2013 a 2015 o Quartetto Indaco com o qual frequentou o mestrado em quarteto de cordas na Hochschule für Musik em Hannover com o Professor Oliver Wille. O quarteto apresentou-se em vários festivais internacionais e salas de concerto por toda a Europa e colaborou com músicos de renome internacional, como Bruno Canino e elementos do Quartetto di Cremona. Foi distinguida em vários concursos nacionais e internacionais, a solo e em música de câmara. Isabel Vaz encontra-se sediada em Amesterdão e é um dos elementos mais recentes da Noord Nederlands Orkest. Também se dedica à música de câmara, integrando o Tesla Piano Trio e, juntamente com o pianista Vasco Dantas com quem tem um duo de violoncelo e piano, faz parte da direcção artística do Algarve Music Series. Durante as últimas temporadas, Isabel Vaz tem-se apresentado como solista com diversas orquestras: Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Kremlin Chamber Orchestra, SONOR Ensemble e Zagreb Soloists.



VASCO DANTAS

Vasco Dantas, pianista português nascido no Porto em 1992, licenciou-se em Música com '1st Class Distinction' no London Royal College of Music, estudando piano com Dmitri Alexeev e Niel Immelman, e regendo com Peter Stark e Natalia Luis-Bassa. Concluiu um Mestrado em Performance com nota máxima sob orientação de Heribert Koch, na Universidade de Münster, onde foi aceite para o estudo de Doutoramento “Konzertexamen”.
Já conquistou mais de 50 prémios em competições internacionais na Alemanha, Grécia, Itália, Malta, Marrocos, Portugal, Espanha e Reino Unido e apresentou-se a solo com inúmeras orquestras e maestros de renome por todo o mundo. Em 2019, Vasco estreou-se em recital de piano no Carnegie Hall, em Nova Iorque. Em 2017, Vasco fez sua estreia na Rússia com a Kremling Chamber Orchestra no Grande Salão do Conservatório Tchaikovsky de Moscovo, Concerto para Piano nº 4 de Beethoven. Em 2016, Vasco fez sua estreia na orquestra alemã atuando com Jülich Sinfonieorchester e Junges Sinfonieorchester Aachen, o Concerto para Piano nº 2 de Rachmaninoff. Em 2015, o Vasco estreou-se na Ásia, tocando com a Hong Kong Symphonia no Hong Kong City Hall Concert Hall o Concerto para Piano nº 1 de Franz Liszt; Em 2014 o Vasco estreou-se nos Estados Unidos tocando com a “Orquestra Sinfónica Espírito Santo” em Vitória - Brasil, o Concerto para Piano nº 2 de Shostakovich; Em 2013, Vasco estreou-se com a orquestra portuguesa Orquestra Sinfónica do Porto (Casa da Música).

Financiamento
Funding:

Parceiros institucionais
Institutional partners

apoio

Apoios:
Support: